x Início Simulador de Financiamento Consórcio de Motos Seguro para Motos Fale Conosco

Financiamento de Motos - o Guia Definitivo

por
financiamento-de-motos-honda-guia-definitivoAntes de tudo, devo dizer que sou um motociclista apaixonado 💖 por motos, principalmente as da Honda, sou Hondeiro assumido. Mas independente da marca, as motos são mais do que veículos que nos levam do ponto A ao ponto B. Elas são um estilo de vida, uma verdadeira paixão sobre duas rodas cujo número de admiradores só cresce a cada ano. E visando realizar o sonho de comprar sua moto zero elaborei este guia 100% gratuito, que vai te ensinar todas as dicas para tirar uma moto financiada da melhor maneira possível.

Você vai aprender tudo que sei sobre financeiras e montadoras, e vou te auxiliar a calcular o valor total do investimento usando nosso simulador de financiamento. Como se trata de um guia definitivo e bem completo, decidi separa-lo em diversos tópicos de modo que seja mais fácil para uma consulta rápida. Vamos lá?

Financiamento de Motos - Índice

  1. Introdução
  2. Escolhendo a moto ideal
  3. Documentação
  4. Seu dinheiro
  5. Onde e como financiar uma moto
  6. Taxas de juro e tarifas
  7. Financiar sem entrada
  8. Custo de Manutenção da moto
  9. Dicas para Financiamento
  10. Simulador de Financiamento

#1 - Introdução

Se você chegou até aqui, é porque está buscando o máximo possível de informações para financiar sua moto. Aqui, trataremos especificamente desta forma de aquisição, que é o financiamento. Se você deseja adquirir sua moto de outra forma, seja comprando-a à vista ou através de um consórcio de motos, te aconselho a ler os demais artigos que temos aqui no site, que são mais específicos. 

Nosso intuito com este guia definitivo é te ajudar a comprar a motocicleta correta para você pelo menor preço possível utilizando o financiamento. Vamos continuar e descobrir como tudo isso funciona? :)

#2 - Escolhendo a Moto ideal


Como dizem por aí, "quem não sabe o que comprar, acaba comprando qualquer coisa". Portanto, antes de entrar em um financiamento de motos, você precisar definir com muita certeza qual é a moto ideal para você. Com certeza você não vai comprar uma minimoto como da foto acima, mas será que você realmente precisa de uma CBR600? Repare que utilizei a palavra "precisa": querer é uma coisa, precisar é outra.

Lembre-se que se você está financiando, significa que hoje não tem todo o dinheiro necessário para comprar sua moto. Logo, você deve comprar algo que seja realmente necessário, e não bancar um sonho com um dinheiro que não é seu - no financiamento, a moto só será realmente sua quando você pagar todas as parcelas, falaremos mais sobre isso no capítulo sobre financiamento.

Portanto, defina suas prioridades! Você precisa da moto para trabalhar na cidade? Talvez uma CG 160 já seja o suficiente para você. Vai usar a moto mais tempo em estrada? Então uma moto com maior cilindrada como uma 250cc ou 300cc seja mais adequada para suas necessidades, te trazendo mais segurança e conforto. O mais importante que posso passar, com todos meus anos de experiência em compra e venda de motos, é: compre a moto pensando em você, não nos outros! Afinal de contas, quem vai pagar a prestação no fim do mês é você, e não aquele seu "amigo" que diz"deu mole, podia ter pego uma 600". Conheço dezenas de pessoas que quiserem bancar uma moto que não podiam manter (prestação + manutenção + ipva etc) e se endividaram muito, a ponto de ter que vender a moto para pagar as dívidas. Olhe sempre para seu bolso e escolha a moto ideal para você!

Veja algumas sugestões de acordo com o uso da moto que você vai financiar:

Motos para trabalhar

+ Mais baratas para comprar e para manter
+ Mais ágeis no trânsito urbano
+ Compra e venda mais rápida
- Na estrada podem ser mais instáveis e desconfortáveis

Modelos: Honda Biz, Honda CG, Yamaha Factor, Fazer 150 etc

Motos de uso misto

+ Ainda tem uma boa relação custo-benefício
+ Bom mercado de compra e venda
- Iniciantes podem ter dificuldade em guia-las
- Sua parcela mensal do financiamento será mais alta.

Modelos: Honda Cb Twister, NXR Bros, Yamaha Fazer 250, YZF R3 etc
[voltar ao índice]

#3 - Documentação

documentos para financiar uma moto
Financiar uma moto não é tão fácil e rápido como as propagandas passam para a gente. Na verdade, se um único documento da lista exigida pela financeira não estiver de acordo, seu financiamento não é aprovado, e essa ida e vinda de documentação é bastante estressante para quem vai tirar uma moto financiada. Portanto, preste muita atenção ao separar os documentos. 

Importante: sempre leve os originais com você, mesmo tendo cópias! 

A documentação exigida para entrar em um financiamento de motocicletas, geralmente, é a seguinte:

Cópia do RG/CPF 

Documento básico de identificação pessoal.  Confira se sua carteira de identidade possui seu número de CPF: se não tiver, leve também uma cópia do CPF. Você pode também usar sua Carteira de Habilitação. E lembre-se: não precisa ser habilitado para financiar uma moto, você precisa ser habilitado para dirigir, não para compra-la.

Carteira de Trabalho 

Você emprestaria dinheiro para alguém que não trabalha? Pois é, os bancos e financeiras também não. Então você precisa comprovar renda, e no geral se faz isso com a Carteira de Trabalho. Lembre-se, você precisa de pelo menos três meses de carteira assinada para ter o crédito aprovado! Algumas instituições também aceitam o histórico da sua movimentação bancária dos últimos meses, no caso de você trabalhar como freelancer/informal.

Comprovante de residência

Serve conta de luz, água, telefone ou qualquer outra que seja endereçada mensalmente para você. Lembrando que você precisa de pelo menos uma conta no seu nome. Para alguns bancos, não adianta a conta estar no nome de um parente seu, mesmo que você more na casa. 

E não adianta espernear e discutir, o dinheiro é do banco e ele determinada as regras, portanto, siga as regras do jogo. Caso você não tenha conta nenhuma no seu nome, converse com seu pai ou sua mãe (ou quem quer que more com você) para passar a conta de luz para seu nome, desse modo você não terá problema algum em relação a este documento.
[voltar ao índice]

#4 - Seu dinheiro

financiando moto sem muito dinheiro
Eis o grande motivo para tirar uma moto financiada: você precisa da moto, mas não tem todo o dinheiro para compra-la à vista. E isso acontece com grande parte da população, não se sinta sozinho! E só você sabe o quanto é difícil ter e guardar seu dinheiro, não é mesmo? Então vamos ao que interessa: quanto mais dinheiro você tiver para dar de entrada, melhor. Simples assim. Quanto maior a entrada, menor o financiamento da moto, e menos juros você vai pagar ao banco ao longo dos anos. Vamos falar disso mais à frente no capítulo sobre financiamento sem entrada.

A única hipótese em que vale a pena dar o mínimo de entrada e manter o dinheiro com você é para formar uma poupança de emergência. Explico: suponha que você não tem plano de saúde, sofre um acidente, e precisa fazer uma cirurgia urgente. Se depender do SUS, você pode esperar na fila até morrer, portanto a melhor opção para sua vida é fazer no particular. E se você não tiver uma poupança para essas emergências? Você acha que o hospital vai esperar você vender a moto para pagar as contas? Não mesmo. E ainda pode por seu nome no SPC e Serasa, e daí sabe o que vai acontecer com seu financiamento? Você pode perder sua moto para o banco. Acredite, isso acontece. Seria bem triste perder sua Honda ou Yamaha não é mesmo?

O aconselhável é sempre ter uma reserva para emergências. Nem todo mundo tem disciplina ou condições para fazer isso, mas na hora do sufoco, é esse dinheiro que vai te fazer dormir mais tranquilo. Pense bastante antes de entrar no financiamento de moto e defina o melhor valor de entrada de acordo com sua realidade: uma escolhe errada pode trazer consequências bastante desagradáveis no futuro.
[voltar ao índice]

#5 - Onde e como financiar uma moto>

Moto Financiada é liberdade nas estradas
Muitas pessoas acreditam que para financiar uma moto sua única opção é o financiamento oferecido pela loja, mas isso não é verdade! O que te oferecem na concessionária nada mais é que um serviço bancário oferecido por um banco ou financeira. A concessionária não financia nada, apenas ganha uma participação nos lucros que virão desse financiamento, ou seja, além de pagar o banco, você vai deixar um dinheiro com a loja.

Portanto, antes de fechar negócio na loja, procure outros bancos que estejam aptos a te oferecer um financiamento de veículos, a diferença na taxa de juros pode ser bem considerável. Vamos agora citar alguns dos bancos que oferecem financiamento para motos:

Banco Honda

Apesar de fazer parte do grupo Honda e ser amplamente oferecido nas concessionárias, saiba que o Banco Honda é um banco, ou seja, seu principal objetivo é emprestar dinheiro e cobrar juros para aumentar seu faturamento, a venda da moto é apenas um meio de conseguir isso. Antes de achar que essa é a melhor opção, analise o contrato e anote as condições de pagamento (número de parcelas, entrada e taxa de juros ao mês).

#6 - Taxas de Juro e Tarifas

taxa de juros no financiamento de motos
Juros e tarifas: eis as duas palavras que vão definir o quanto de dinheiro você vai perder para o banco em troca de ter a moto rapidamente. Mas não se desespere! Entendendo bem como elas interferem no seu financiamento você ficará mais tranquilo, sem eventuais surpresas. 

Juros

Você não precisa ser um expert em matemática para entender o poder que os juros tem sobre o dinheiro, tanto para o bem, quanto para o mal. Normalmente os bancos e financeiras fazem propagandas informando que estão com juros baixos, com frases do tipo "apenas 1,99% ao mês". Apesar de 1,99 parecer ser uma coisa pequena - como seria em uma das antigas lojas de R$ 1,99 - juros de 1,99% ao mês significam bem mais do que o número sugere, principalmente se o financiamento for bem longo - acima de 48x. 

Usando o nosso simulador de financiamento de motos, vamos simular uma situação hipotética: financiar uma linha de crédito de uma Honda no total de R$10.000 em 60 prestações, sem entrada e sem juros, ou seja, 0% de juros - novamente, isso não existe. Nesse mundo perfeito, sua prestação mensal para comprar a moto seria de R$ 166,67. Agora mudando no simulador apenas a taxa de juros, para a "pequena" taxa de 1,99% que as montadoras e bancos anunciam, quanto ficaria a parcela mensal? Ela pula para inacreditáveis R$ 287,68, uma diferença de R$ 121 reais por mês que saem do seu bolso! Percebeu como esse pequeno número 1,99% faz uma diferença danada? Portanto fique atento: a taxa de juros, por menor que possa parecer, nunca é pequena no seu bolso. Sempre negocie uma taxa de juros menor. Se não conseguir reduzir a taxa, tente reduzir o prazo do financiamento: inicialmente as parcelas ficam mais altas, mas no longo prazo você dará menos dinheiro ao banco e quitará sua moto mais rápido.

E falando sobre "sem juros", saiba que isso não existe: ninguém empresta dinheiro de graça, muito menos um banco, cujo objetivo principal é o lucro. Portanto, se uma financeira ou banco oferecer financiamento de motos "sem juros", saiba que vão lucrar em cima de você de alguma forma, e a principal forma de fazer isso é cobrando tarifas extras para iniciar o financiamento, como veremos a seguir.

Tarifas

"Tarifa" é um nome bonitinho que os bancos dão para "lucros extras". Quem nunca ouviu falar da famosa TAC, a Tarifa para Abertura de Crédito? Geralmente quando se faz um financiamento de motos, você é obrigado a pagar a TAC pois, segundo o banco, ele tem um custo administrativo com toda a papelada e tempo para analisar seu crédito. Aqui, infelizmente, não há muito como fugir, pois é raro um banco abrir mão da cobrança da TAC. Fica o alerta para sempre ler o contrato que você vai assinar com o banco, e ficar atento a todas as tarifas que você terá que pagar durante o financiamento. 

Um outro caso que incide tarifas bem caras é quando anunciam o "financiamento sem juros", e como já vimos, não existe almoço grátis: o banco vai lucrar em cima do seu financiamento - vai aumentar as tarifas de abertura de crédito e pode inclusive criar outras tarifas no seu contrato para cobrir o custo dessa "bondade" de te oferecer um financiamento com "taxa zero". Não se engane, sempre leia o contrato antes de assinar!

#7 - Financiamento sem entrada

financiamento-sem-entrada-enganacao
Em determinadas épocas do ano, seja por recessão da economia ou excesso de veículos nos pátios das montadoras, bancos e financeiras oferecem financiamento de moto sem entrada. A princípio pode parecer uma ótima oportunidade, ter sua moto nova sem ter que colocar nenhum dinheiro seu logo de início.  Mas como você já leu anteriormente, o banco não é seu melhor amigo, ele quer lucrar. E de que forma ele vai lucrar já que não irá pegar dinheiro algum de entrada? Simples: vai aumentar a taxa de juros. Vamos entender como isso funciona, para você não cair na conversa de que é sempre melhor vantagem para você. Usando nosso simulador de financiamento, chegamos aos números abaixo:

Simulação: Comprar uma Bros 160

Sendo uma das motos mais financiadas do Brasil, juntamente com a CG 160, vamos utilizar uma NXR Bros neste exemplo. Considere que o valor estimado da moto para o financiamento será de R$ 10.500,00

Cenário 1: comprar a moto com entrada de 20% ( R$ 2.100,00 )

Pelo simples motivo de você estar dando uma entrada, o banco em contrapartida pode te oferecer condições melhores, como uma taxa de juros reduzida ou aumento o prazo para financiamento.

Entrada (20%): R$ 2100,00
Juros: 1.5% ao mês
Parcela: R$ 213,30 por mês
Total em 60 meses: R$ 14.898,00

Cenário 2: comprar a moto sem entrada ( R$ 0 )

Aqui o cenário muda. Como você não vai dar dinheiro de entrada, vamos simular que o banco vai aumentar sua taxa de juros em 0.4%, ou seja, vai ficar em 1.9%, ainda abaixo do número psicológico de 1.99%. Parece pouco, não é mesmo? Será? Vamos ver as contas:

Entrada (0%): R$ 0,00
Juros: 1.9% ao mês
Parcela: R$ 294,79 por mês
Total em 60 meses: R$ 17.687,40 😲

E aí, tomou um susto? Pois é. A sua parcela mensal aumentou cerca de R$ 80, e no final do financiamento você terá pago quase R$ 2.800 reais a mais ao banco para ter sua moto, e isso pelo simples fato de você não ter dado entrada. E aqui estamos considerando que o banco vai aceitar o financiamento em 60 meses, o que geralmente não acontece. Se o prazo for menor, sua parcela mensal vai ficar bem maior, e talvez você não consiga pagar a prestação com seu salário.

Diante de tudo já exposto, uma coisa fica clara - o financiamento sem entrada é muito bom: para o banco. Por isso é muito importante você sempre dar a maior entrada possível quando for financiar sua moto, ok? Não acredite em toda a propaganda que você vê.

#8 - Custo de Manutenção da Moto


Eis uma situação comum: a pessoa decidiu qual modelo de moto quer, foi no banco e viu que a parcela mensal cabe no salário, afinal, se o salário é R$ 1200 e a prestação é R$ 400, dá para pagar tranquilo. Será?

Muita gente comete esse erro, principalmente pessoas que estão comprando sua primeira moto. Ao analisar apenas o valor da prestação, esquecem de todo o resto que é necessário para cuidar da moto e até mesmo para sobreviver: aluguel, IPTU, IPVA, conta de luz, telefone, supermercado, farmácia, educação, restaurante, gasolina, troca de óleo, manutenção da moto e muitos outros itens, a lista é quase infinita! 😪Portanto, não analise apenas a prestação da aquisição da moto, considere também tudo que será necessário para mante-la, pois é a mais pura verdade aquela frase que diz "moto é como um filho: é lindo, mas tem que cuidar e é caro". Vamos elencar os principais custos para se manter a sua nova moto financiada:

  • IPVA e licenciamento anual - um mal necessário. Todos concordamos que o valor cobrado é um absurdo perto do retorno que temos. Mas, para não correr o risco da sua moto ser apreendida por falta de documentação, faça o correto: pague o imposto e ande com os documentos em dia.
    Veja também: As 5 motos mais caras do Brasil - e seus IPVAs
  • Combustível - por mais que as motos sejam mais econômicas que carros, ainda assim você deve considerar esse custo mensal, afinal, se você não tiver dinheiro sobrando nem para encher o tanque, você não deveria ter uma moto. É fácil fazer a conta para ter uma idéia de quanto você vai gastar por mês.
    Suponha que vai usar sua moto da sua casa até o trabalho. Se você mora a 10km de distância, então por dia você vai rodar pelo menos 20km, para ir e para voltar. Se trabalha de segunda a sexta, serão 100km por semana. Uma CG, um dos modelos de moto mais econômicos do país, faz uma média de 40km/l na gasolina, e com a gasolina beirando os R$ 5,00 por litro, pode-se dizer que por semana você gasta R$ 12,50 de combustível. Se o mês tiver cinco semanas, serão R$ 62,50 por mês. E isso sem considerar o que você for rodar no fim de semana. Pode parecer pouco, mas tem muita gente que passa o final do mês sem esse dinheiro na conta.
  • Seguro - eis um item que cada vez mais tem sido adquirido pelos motociclistas. Infelizmente vivemos em centros urbanos nada seguros, e a bandidagem leva nossas motos mesmo, sem pestanejar. Se você tiver condições, invista em um seguro para sua moto. Imagine só como seria triste levarem sua moto e você ainda ter 55 prestações para quitar a moto roubada que não tinha seguro? Veja também: Tudo sobre seguro de Motos
  • Troca de Óleo - moto não é só colocar gasolina e rodar feito um vidaloka por aí. Sempre leia o manual da sua moto e veja de quanto em quanto tempo você deve fazer a troca de óleo. Lembre-se que trocar o óleo é muito mais barato do que ter que fazer um motor que está fumando. E importante: sempre que trocar o óleo, troque também o filtro de óleo! Um filtro sujo vai contaminar o óleo novo rapidamente, e você estará exposto aos riscos de quebra de motor.
  • Pneus - eles são um dos itens de segurança mais negligenciados por motociclistas, diariamente cansamos de ver motos rodando com pneus completamente carecas, pondo em risco sua vida e a de terceiros. Um pneu careca, além de não fazer curvas com segurança, demora muito mais para frear a moto e corre o risco de estourar. Imagine só o que é estar a 100km/h em uma estrada e seu pneu careca estoura? Melhor nem imaginar.
    Outra dica que dou é: nunca economize com pneus recauchutados: são tão perigosos quanto um pneu careca. Sempre que for comprar pneu, exija o selo do Inmetro, independente da marca que for comprar. Se não tiver o selo, não ponha sua vida em risco, procure outro pneu ou outra loja.
  • Elétrica - xi, a moto não liga? Verifique se a bateria está ok, pois ela tem um tempo de vida. Geralmente a garantia não cobre troca de bateria depois de alguns meses de uso, portanto você poderá ter que desembolsar entre R$ 50 a R$ 100 para comprar uma bateria nova para sua moto.
  • Garantia de fábrica muita gente não se atenta que, para manter a garantia de fábrica, você deve obrigatoriamente fazer a manutenção da moto nas concessionárias da marca. Pode ter certeza que as trocas de óleo serão mais caras, mas é o preço que se paga pela tranquilidade que você terá caso um problema mais sério aconteça com a moto, já que a fábrica será a responsável pelo conserto. Se você usa a moto para trabalhar, considere manter a garantia de fábrica, afinal, a moto é o instrumento para você ganhar dinheiro.

Como você viu, são inúmeros os custos extras que sua moto pode gerar. O ideal é mensalmente você separar um dinheiro e criar uma reserva de emergência para eventuais problemas, afinal, ninguém quer ficar sem moto porque está sem dinheiro, certo? 🏍

#9 - Dicas para Financiamento de Motos

dicas de financiamento
Até aqui já passamos muita informação para te auxiliar na aquisição da sua nova moto financiada. Ainda assim, aqui vão algumas dicas que irão te ajudar na decisão do melhor financiamento para você:

Dica: Vá ao banco onde você possui conta.

Independente de qual banco você tenha conta corrente, geralmente este é o lugar onde você conseguirá as melhores taxas para financiamento pessoal. Isso se dá pelo fato de que o banco já o conhece, sabe que você é um bom pagador (espera-se) e assim pode te oferecer menores taxas de juros.

Dica: Procure um gerente de relacionamento

Em geral, você pode solicitar financiamento nos caixas automáticos ou mesmo nos atendentes padrão (caixas). Dificilmente você conseguirá negociar a taxa de juros com estes, sendo assim, não perca tempo e procure atendimento com o gerente de relacionamento do banco para financiar sua moto.

Dica: Nunca aceite a primeira proposta de financiamento

Isso é fundamental: nunca, NUNCA aceite a primeira oferta do gerente, o banco sempre tem "gordura para queimar" com o cliente. Questione, diga que você já é cliente há algum tempo e espera que ele (o gerente) consiga melhores taxas para você. Se ele for irredutível, diga que vai procurar outro banco onde consiga taxas melhores.

Dica: Analise se o pacote de serviços bancários será útil para você.

Como forma de conseguir uma taxa de juros menor para financiamento de motos, o banco pode solicitar que você contrate serviços adicionais, como um plano de previdência privada, investimentos automáticos, conta corrente com um pacote mais completo etc. Analise bem se vale a pena adquirir todas essas coisas para ter uma queda na taxa de juros.

Para te ajudar, use o nosso simulador de financiamento do site. Vamos dar um exemplo:

Conta corrente com serviços bancários: R$ 60
Taxa de juros 1,4% 
Prestação Mensal da moto: R$ 240,00
Total: R$ 300,00

Conta corrente comum: R$ 40
Taxa de juros 1,6% 
Prestação Mensal da moto: R$ 270,00
Total: R$ 310,00

Como você pode ver acima, nesse caso, vale mais a pena pagar pelos serviços bancários extras, pois seu total no mês contando a prestação será dez reais menor. Mas sempre analise caso a caso, pode ser que o gerente esteja querendo te passar a perna, cobrando por serviços bancários que sairão mais caros para você!

Dica: Nunca assine nada sem ler linha a linha

Você achou uma taxa legal e quer fechar o financiamento com o banco. Aqui está um exemplo do que muitas pessoas fazem. Simplesmente o gerente fala "é só assinar" aqui, e fica impacientemente esperando que você assine. Fique calmo, você tem todo o tempo do mundo para ler. Investir cinco minutos lendo seu contrato é melhor do que perder horas no telefone tentando cancelar algo que você não queria e que estava escondido no meio do contrato. Está sem tempo na hora? Peça para ele imprimir uma via e leve-a para a casa, para ler com calma. Não assine o contrato sob pressão do gerente!

Dica: Não agradou? Procure outros bancos!

Como nada na vida são regras fixas, pode ser que em outro banco onde você não possua conta existam melhores condições de financiamento para você pegar sua moto. Apesar de isso ser difícil, pode acontecer. Portanto, pesquise bastante, afinal, você não está comprando uma camisa, e sim um item caro como uma moto, que pode custar dezenas de milhares de reais.

Dica: Prazo ideal de financiamento

Se você puder fazer um financiamento em menos tempo, sem que as prestações mensais te "enforquem", faça isso. Quanto mais tempo financiando, mais dinheiro você vai dar ao banco até quitar sua moto. Cuidado ao ver apenas o valor da prestação, veja sempre o quanto você vai pagar no total. Você pode economizar milhares de reais fazendo isso!
[voltar ao índice]

#10 - Simulador de Financiamento de Motos

simulador de financiamento de motos honda
Se você leu todo o texto acima e chegou até aqui, parabéns! Você está no seleto grupo de pessoas que estudou este guia de financiamento e dificilmente será enganado quando financiar sua moto. Espero que eu tenha te ajudado passando toda minha experiência, pois muita coisa aqui eu tive que aprender na marra, perdendo tempo e dinheiro para poder ganhar conhecimento, então fico feliz de ajudar você a ter sucesso no seu financiamento! 😊

Como uma última ferramenta de auxílio no financiamento da moto, criei o simulador abaixo. Basta você inserir o valor do financiamento, a taxa de juros que o banco ou financeira te passou, o número de parcelas e o percentual de entrada. Dessa forma você pode comparar o quanto você vai pagar no total até ter sua moto quitada.

Faça diversas simulações: altere o prazo de pagamento, aumente a entrada, enfim, "brinque" com nosso simulador e veja quanto você vai pagar na sua moto nova. Se tiver alguma dúvida, deixe-a abaixo nos comentários! Um forte abraço, e sucesso!  

Motociclista Amigo, editor-chefe do FinanciarMoto.com.br
[voltar ao índice]
moto miniatura

Quanto vale minha moto?

por
quanto-vale-minha-moto
Olá meus amigos! Nesse mundo das duas rodas sempre conversamos muito, e uma pergunta muito comum que me fazem sempre que alguém quer financiar uma moto é: "Quero comprar uma moto nova. Quanto vale minha moto usada?". Bem, o valor de um veículo, seja uma moto nova ou usada, depende de vários fatores. Para chegar ao preço certo e justo, você deve considerar vários aspectos.

Tabela Fipe - Motos

Um dos índices mais utilizados para definir o valor de um carro ou moto é a Tabela Fipe. Ela é gerida pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, cujo objetivo principal é estabelecer um parâmetro de valores dos veículos comercializados no Brasil, sejam estes novos (zero km) ou usados. A Fipe é constantemente atualizada, e pode ser consultada diretamente no site, ou através dos apps para celulares Android e iOS. Basta inserir o fabricante (Honda, Yamaha, Dafra etc), modelo e ano de fabricação da moto em questão , para se ter o valor da tabela FIPE para o referido veículo.

Preço de Mercado

Como vimos acima, a FIPE é um indicador, mas o preço praticado de uma moto realmente é definido pelo mercado. Vejamos agora algumas características que afetam o valor de mercado de um veículo:

Oferta e Demanda

Não adianta anunciar uma moto Yamaha que na tabela FIPE vale R$ 8000, se não há procura por aquele modelo. Invariavelmente você terá que baixar o valor se quiser vender rápido, para alguém considerar aquela compra como uma oportunidade.

Mas o inverso também pode acontecer: uma moto Honda que teve poucas unidades comercializadas pode valer R$ 15.000 na FIPE, porém por ter poucas unidades no mercado, mais pessoas podem estar dispostas a compra-la por um valor maior que o de tabela, quase como se fosse um leilão.

Localização

A região onde está sendo vendida a moto também interfere no valor, e é intimamente relacionada à Oferta e Demanda. Uma Bros 160 é muito comum em uma grande capital como São Paulo, mas pode ser uma moto mais difícil de ser vista em uma cidadezinha do interior do Piauí. Fatores climáticos e infraestrutura do local também entram na equação: motos trail podem ser mais valorizadas em locais em que não haja asfalto.

Conservação

Parece óbvio, mas muita gente ainda acha que uma moto com carenagem arranhada pode ter o mesmo valor da tabela FIPE. Basta se colocar no lugar do comprador: você pagaria o valor de tabela em uma moto toda arranhada? É claro que não! Portanto, mantenha sua moto sempre conservada: além de trazer satisfação pessoal, isso pode ser um diferencial para a venda no futuro.

Cores

Muita gente tem preconceito com certos tipos de cores, sendo assim algumas motos com cores mais exóticas como amarelo ou rosa podem ser mais difíceis de serem vendidas pelo preço médio de tabela. Mas o inverso também acontece: uma Kawasaki verde certamente será mais valorizada que de outra cor, pelo histórico e marketing da marca.

Acessórios

Em menor grau, os acessórios podem interferir no valor de venda de uma motocicleta. São eles: rastreador, sensor de pressão de pneus, carregador USB etc... mas não compre acessórios pensando em agregar valor à venda da moto. De modo geral, o valor de compra dos acessórios acaba sendo maior do que o valor agregado durante a venda da moto. Acessórios servem para trazer satisfação pessoal ao motociclista, pense nisso!

Agora que você já sabe como definir o valor de venda de sua moto usada, aproveite para pesquisar em nosso site valores de financiamento para sua nova moto. FinanciarMoto, é mais moto!
moto miniatura

Capacete mais barato com isenção de impostos, confira!

por
Boa notícia, pessoal! O Senado Federal, que propõe as leis em nosso país, está com um projeto de lei para zerar os impostos de capacetes e outros equipamentos de proteção para motociclistas. O senador responsável pelo projeto é o Otto Alencar. O objetivo principal, além de ajudar a salvar vidas, é incentivar a compra de capacetes com valor reduzido, e assim reduzir o número de óbitos e internações em acidentes de motos, algo que custa muito dinheiro ao Estado: "Abrir mãos destes impostos pode beneficiar o país economicamente por reduzir a necessidade de internações em hospitais de alta complexidade, além de salvar muitas vidas em nossas ruas e estradas".
capacete-barato-isenção-imposto
Capacete mais barato com isenção de impostos

Capacete sem imposto resolve?

É claro que o uso do capacete é mais do que uma questão de educação e zelo pela vida, mas não deixa de ser uma ótima iniciativa para nós, já que poderemos comprar capacetes sem pagar impostos! Só a isenção de impostos não vai resolver o problema da educação, mas a longo prazo a tendência é de que todos usem o capacete, tanto por ficar mais barato como por uma questão de respeito à vida, própria e de terceiros.

O projeto ainda não virou lei, mas você pode acompanhar o andando nesta página do Senado, e inclusive pode votar a favor da criação da lei.

E você, o que achou desta excelente notícia? 😃

moto miniatura